Compre um Babalú e ganhe uma vaga na universidade pública!


Diploma

Como somos todos contra o preconceito não seria mais justo darem vagas nos cursinhos pré vestibulares para os afros lutarem de igual para igual por uma faculdade? Por que exigir vagas nas universidades e não condições para consegui-las por mérito próprio?

Boa pergunta caro leitor. Concordo com você em partes, sou totalmente contra a distribuição de cotas com a justificativa racial, não importando sobre qual raça seja, são atitudes como essas que incentivam a segregação. Daqui algum tempo teremos que restringir a inscrição de orientais então?

Seria mais justo alocar vagas para estudantes provenientes do sistema público de ensino. Ainda teria que haver uma condição de que a vaga só poderia ser utilizada para quem tivesse estudado nele por um período superior a três anos. Sinceramente não entendo o cara que estudou em colégios super-hyper-mega-ultra-caros querer ir para faculdade pública, é muita falta de responsabilidade social, se teve condições de pagar pela educação nessas instituições o mais correto seria ele ocupar uma cadeira em uma excelente faculdade privada!

A verdade mesmo é que a educação não é levada a sério neste país, o governo não facilita com um presidente que se vangloria de não ter estudado e com governadores que estabelecem a aprovação automática, mas a culpa não é só do governo, creio que os pais têm uma parcela também ao não exigir maior aplicação de seus filhos.

Sobrarão vagas nas universidades, afinal, para que estudar? Compre um Babalú (olha o merchan) e ganhe uma vaga na universidade pública!

No fim das contas eu, que nada tenho a ver com isso, acabo tendo mais trabalho, pois sou obrigado a lidar com alguns desaforados que não entendem o propósito deste blog, as ironias que faço e muito menos o que vieram fazer no mundo! Pensando bem, em alguns casos, eu também não faço a menor idéia do que vieram fazer aqui…

Plantar uma árvore e ter um filho o povo já consegue, ainda falta escrever um livro!

Anúncios

31 Respostas

  1. sou totalmente contra o sistema de cotas “raciais”. sou a favor das cotas para alunos provenientes de escolar publicas que estudaram no mínimo durante o ensino médio por lá ou que eram bolsistas integrais em escolas particulares. não vou falar mais se não podem pensar que sou racista.

  2. Acho de grande interesse para todos o assunto tratado aqui nessa pergunta do colega. Porém, é imprescindível que, como outros fatos de grande importância, tomamos nossas opiniões de forma integral, ou seja, devemos observar todos e tudo, inclusive a História, que está relacionado com
    com a questão de forma que nos afastamos o máximo possível para não misturar o que desejamos do que realmente é o fato observado. Para assim, chegar o mais perto possível de uma opinião justa.

  3. Amigo Urso, não concordo com o seguinte trecho de sua réplica:

    “Sinceramente não entendo o cara que estudou em colégios super-hyper-mega-ultra-caros querer ir para faculdade pública, é muita falta de responsabilidade social, se teve condições de pagar pela educação nessas instituições o mais correto seria ele ocupar uma cadeira em uma excelente faculdade privada!”

    Acredito que isso não tem nada a ver com responsabilidade social. Levando-se em conta que o nome de uma faculdade pública em seu curriculo em geral conta muito mais que o de uma faculdade privada (tanto pelo nome, quanto pelo diferencial do difícil processo de seleção, quanto pela qualidade de ensino), muitos pais, preocupados com o futuro de seus filhos, se sacrificam financeiramente nos três anos do ensino médio de seu filho, para coloca-lo em um bom colégio particular. Conheço muitos casos assim, inclusive o meu.

    A solução pro problema das universidades? A adoção/adaptação do metodo americano de ensino. O governo extinguir as universidades públicas, dar ensino basico e médico de qualidade, clubes de atividades dento das escolas, aumento de carga horária, a adaptação de matérias no ensino médio conforme a carreira a seguir (exatas, humanas ou biológicas) e a extinção do vestibular, sendo substituido pelo sistema de curriculos escolares.

    Teriamos instituições privadas investindo no intelecto de seus estudantes, executando pesquisas e registrando patentes, e com o lucro obtido por elas, abrindo bolsas para bons estudantes que pudessem ser proveitosos para a universidade. Isso sem contar no provavel desenvolvimento de uma boa liga esportiva estudantil, daonde sairiam nossos principais nomes do esporte, que nos trariam muitas medalhas nas olimpiadas.

    Isso ajudaria na criação de uma cultura educacional inteligente, a idéia de que quem não estudasse, se destacasse, não conseguiria um lugar em uma boa universidade.

    Ai sim teriamos um sistema de ensino justo, seja para negros, orientais, ricos ou pobres. Oportunidade para todos.
    Utopia? Acredito que sim.

  4. A resposta clara e objetiva a pergunta feita seria:
    Investir no ensino é obviamente a solução, porém iria deixar de fora das universidades umas 2 ou 3 gerações de jovens.
    Algumas ações são tomadas com caráter emergencial, por exemplo, não da pra ensinar a nadar quem está morrendo afogado.

  5. Desculpe, mas perdi algo. Não entendi a referência a “compre um babalú”. Deve ser alguma gíria ou termo regional que desconheço.

    No restante, concordo plenamente com as colocações.

  6. Amigo black_slasher,

    Não creio ser utópica sua sugestão. De fato, nos livraríamos de toda esta incoerência a partir do momento em que nossos estúpidos governantes percebessem o erro histórico que cometemos, o de não priorizarmos nossa formação intelectual. Ora, sendo nossos (des)governantes um bando de salafrários, em sua grande maioria, e desprovidos de nosso respeito e confiança, como poderá ser concretizado este nosso sonho (agora, chamo de sonho, não utopia)? Este dia chegará quando pessoas (e ursos) como nós nos propusermos a negar tudo isto que nos é imposto, toda essa malha fina de gatunos! Aonde esconderam a vontade do brasileiro de lutar por seus direitos? Desde sempre, nosso povo precisou de alguém para lhe ‘liderar’ a tomar decisões: nos tornamos independentes pelo braço de um português (sic); a república veio pela força de um militar; nosso presidente expulso só o foi graças à mídia alienadora. Ou seja, somos um povo fraco, desanimado, perdedor historicamente. Então, pergunto: estais satisfeito com isso? É de bom grado a você, ser chamado de ‘bundão’ mesmo? Imagine quantos pejorativos não urgem de Brasília voltados para nós, estúpidos que bancamos a mordomia e sodomia daqueles ordinários.
    A educação de nosso povo é nossa liberdade. Por isso ninguém até hoje destinou a atenção necessária a ela.
    Quem sente-se indignado, pinte a cara, vá às ruas, feche jornais, televisões e expulse presidentes, governadores, senadores e deputados.
    Quem for mais um mero ‘bundão’, passe à diante, leia os próximos comentários e vote no PSDB nas próximas eleições.

    Saudações,

    ‘Hasta la victoria siempre’.

  7. Caros leitores, Babalú era um chiclete vendido há uns 15 anos atrás, minha referência é para ilustrar o quão desprestigiada está a educação no Brasil.

    Quem quiser pode ler, ao invés de Babalú, Gatorade (bebida isotônica), Bala Juquinha, Passe do ônibus, etc…

    Grande abraço,

  8. Na verdade, caro urso, ao que me recordo, ao pé da letra era “Bubleloo”. E creio que ele ainda é vendido sim.

    ; )

  9. enquanto os negros utilizarem o sistema de cotas exclusiva para eles, estes negros, são burros e estúpidos por natureza e não há nada que mude isto.

    porém se eles utilizarem o sistema de cotas que utilize a classe social para auxiliar tanto a eles como os alunos de baixa renda, eles são apenas vítimas do sistema que prioriza tudo menos saúde, educação e segurança.

  10. EM PRIMEIRO, LUGAR QUERO DIZER QUE SEU BLOG É MUITOOO BACANA E CRIATIVO ..PARABÉNS!!!
    DEPOIS….QUERO COMENTAR SUA RESPOSTA SOBRE A QUESTÃO DE COTAS….EU SOU MESTIÇA, E CONCORDO PLENAMENTE COM VC ,QND DIZ QUE NÃO FAZ SENTIDO NENHUM ESSA HISTORIA DE COTAS…OS NÃO NEGROS, REALMENTE ESTÃO NO SEU DIREITO DE RECLAMAR ,AFINAL ELES NÃO TEM “CULPA” POR TEREM NASCIDO COM A COR QUE A MAIORIA JULGA ADEQUADA,,PORTANTO NÃO TEM NADA QUE ACEITAREM A DISCRIMAINAÇÃO, QUE ACABA POR SER FEITA, AO TEREM INDIVIDUOS ,QUE NESSE CASO EU ME ENQUADRO, QUE TENHAM PREVILEGIOS NA HORA DE ENTRAR NA FACULDADE..O RAPAZ QUE MANDOU A PERGUNTA ESTÁ CORRETO ,PORQ NÃO ABRIREM MAIS CURSINHOS PRÉ VESTIBULAR ,QUE DEVERIAM SE INICIAR LOGO NO PRINCIPIO DO SEGUNDO GRAU, JÁ QUE A ESCOLA PUBLICA APENAS NÃO TEM SIDO SUFICIENTE?? ESSA LEI ME FAZ LEMBRAR A AFRICA DO SUL, SERÁ QUE VAMOS PRECISAR DE UM NOVO MANDELA, PARA OS GOVERNANTES PARAREM DE HIPOCRISIA ,E PERCEBEREM QUE O RACISMO SOCIAL, PREDOMINA SOBRE O RACISMO RACIAL? MAS EU NÃO VOU FICAR AQUI FAZENDO DISCURSO. URSO VC É O MÁXIMOOOO!!! QUERO CASAR COM VC!!! UM BJ.

  11. o sistema de cotas incentiva a segregação racial.

  12. Alô, amigo urso!

    Agora entendi, foi um problema de notação. O chiclete “Bubaloo” (grafia correta) ainda é vendido em vários sabores.

  13. Isso realmente faz pensar em cotas para índios, vermelhos, amarelos, chineses, árabes, latinos, refugiados, os sem terra, os favelados, os abandonados, os menores carentes, os que não podem consultar no SUS, os que não conseguem trabalho depois do Seguro Desemprego, dos que não conseguem passe escolar, dos que não tem internet, dos que não tem Banda Larga, dos que não tem TV a Cabo, dos que não tem roupa lavada, dos anões, dos Circenses, dos pigneus, e também tem que sobrar cotas para os normais…

  14. Concordo com você amigo Urso, primeiro: porque os negros não são menos inteligentes para precisarem de privilégios para poder cursar uma faculdade pública, segundo: se a intenção era privilegiar as classes que possuem condições financeiras mais baixas deveriam fazer uma análise financeira e não racista, terceiro: desta forma estão sendo racistas, já que pessoas brancas (ou orientais, ou índios, etc) acabam perdendo sua vaga na universidade para um negro que talvez mereça menos que ele, que estudou menos, que tem menos conhecimento.

  15. Olá, Heber.
    Você se enganou: os sem-terra já tem vagas garantidas. Foram criados cursos especiais em universidades, só para eles. Parece que já tem agronomia e direito (!).

  16. Cotas para afrodescendentes não é reparação racial e sim um atestado do Governo de incompetência e total falência do ensino público. Medida de urgência? Não dá para ensinar a nadar quem está morrendo afogado? Concordo! Mas além do paleativo das cotas, o que está sendo feito???

    Sabe o que falta? Valorizar os ensinos profissionalizantes, técnicos. Sair do academicismo, valorizar o trabalho real, prático! Nosso presidente é metalúrgico sim e me orgulho disso (apesar de ter ressalvas a seu Governo). Me orgulho da nossa raça negra, de morar na maior cidade de população negra fora da África e de ver um povo bonito, plural e consciente de seus direitos.

    Cotas para afrodescendentes é o fim. Política estadunidense que só desagrega. Espero sinceramente que eu esteja errada e que funcione…

  17. Heber, só descomheço uma categoria: a dos normais!

    eu me enquadro nas de sem roupa lavada, é triste…

  18. Acredito que esta lei das cotas é perversa com os próprios negros; quando um negro colocar seu diploma na parede, precisará sempre explicar que tem um diploma legítimo…

  19. Concordo com a maioria dos leitores de que o problema é social e não racial. O buraco é mais embaixo. No meu caso, venho de uma família humilde [de verdade] e cursei uma universidade pública de renome. Mas antes, trabalhando, havia feito 2 anos de universidade particular, que não pude mais pagar e tive que abandonar, o que me ajudou a passar no vestibular público, por ironia do destino. Mesmo aprovada, não tinha como me manter na cidade, então apliquei para uma bolsa de aluno carente. À época, um dos professores me disse que naquele curso, eu era a primeira pessoa a pedir uma bolsa de aluno carente. Na verdade o que ele quis dizer é que era a primeira vez que um pobre entrava pra aquele curso. Não fiquei nada a dever aos outros alunos com boas condições financeiras e vindos de colégios particulares de renome. Mas tenho clareza de que sou exceção. Hoje vejo ex-colegas de colégio pegando ônibus de fábrica, operários, funcionários da limpeza e vejo que tive muita sorte, pois batalhar, muitos batalham, mas poucos conseguem.

  20. Gente vamos postar com mais consciência do que se está escrevendo.
    Podemos ser contra ou avorável as cotas, o que não podemos é falar o que é irreal.
    Caro Vi lombardi (italiano, descutindo os problemas brasileiros?) Quem é graduado e por mérito de cotas não tem que se explicar, a prova disso que que, SEGUNDOS ESTUDOS, inclusive da UNICAMP, os cotistas são os que desenvolvem melhor desempenho no curso superior. Isso são dados concretos, não são opiniões minha.

  21. Bom Dia Urso!
    Estou adorando receber seus e-mails informativos e me faz ter uma percepção melhor do todo.
    Quanto as cotas eu prefiro não comentar, mais vou comentar é uma aberração , naum é desta maneira que o Brasil vai crescer na Educação, estar causando é uma degradação, pois os afrodescendentes (eu) por exemplo me sinto mto mal com essa condição, de forma se eu fosse ganhar uma vaga através de cota seria o fim.Pois só quero ser tratada de igual para igual, com o devido respeito que o ser humano merece, só isso me basta…E assim eu iria longe em busca do meu espaço na sociedade, onde todos deveriam ter os mesmos direitos. Mais espero que os governantes ainda mude a forma de lidar com a Educação. Que é mto distorcida.Qto em formar cidadãos pra vida.Desculpe , mais foi o meu desabafo!!!

  22. Meu amigo urso, gosto mto de suas cutucadas , faz o povo acordar pra vida.
    Continue cutucando,

    Eu agradeço,

    Bjus,

    Janes Manoela

  23. Segundo o Códgo Civil de 2002 todos devem ser tratados igualmente, NA MEDIDA DE SUAS DESIGUALDADES. Só pra o conhecimento.

  24. Não li nenhum comentario porque são muitos, mas vou dar a minha opnião.
    Para mim o sistemas de cotas é um preconceito intitulado. Não devemos tentar nos dividir por raça, já somos apenas uma, a raça humana.
    Pensamos que somos inteligentes, mas muitas vezes agimos como nossos primos macacos.

    O preconceito é o pior sentimente que a humanidade produziu com a sua racionalidade.

    []s a todos os humanos

  25. He, He amigo Urso: Um dos sintomas, no caminho pantanoso do radicalismo, é alcançar a verdade sobre todos os temas. Eu mesmo tenho aqui um amigo que tem um veredicto para tudo. Faço-lhe uma proposta: reúna um conjunto expressivo de verdades e depois conte comigo para fundarmos uma igreja revolucionária. Desde logo, adianto-lhe, o meu objetivo é monetário. Risos.

  26. Em resumo…sou contra cotas pra branco, negro, amarelo, azul… e cota pra colégio público é apenas uma forma do governo não investir em EDUCAÇÃO.

  27. Ao contrário do que muita gente pensa, as Cotas não são um tipo de “ajudinha” para os negros entrerem na faculdade, e sim, uma ação afirmativa em reparação à escravidão que nenhuma raça ou grupo social dito aqui até agora sofreu e sofre até hoje por seus descendentes através do racismo no mercado de trabalho, na sociedade em geral.Sou Engenheiro Mecânico, não precisei de Cotas e nem sou simpatizante dela, mas a coisa a pede.

  28. Também concordo que a melhor opção é o investimento em educação de qualidade, mas nem por isso devemos ignorar a questão racial, que é muito forte. É muito duro ser negro no Brasil. Liga-se a televisão pra assistir a um programa qualquer, a uma novela, e só vê pessoas brancas. Nos comerciais também só aparecem brancos. Nos outdors, idem. Nos livros didáticos, os personágens costumam ser quase todos brancos _ o negro e o índio aparecem no capítulo sobre o folclore brasileiro. Na tese que um professor meu da universidade fez sobre personagens de livros didádicos, nos livros da amostra parecem cerca de 80% de personágens brancos, 1% de pardos e, se não me engano 4% de negros e 4% de índios. É esta a formação da população brasileira? Não. Mas é a formação que mentalizamos e a qual estamos acostumados. Em nossos meios de formação imaginária, há uma negação da população negra e mestiça brasileira. Esta é a forma velada do racismo brasileiro, a que atua em nosso imaginário. Como disse anteriormente, sou a favor de uma grande reforma educacional, não sendo favorável ao sistema de cotas. Entretanto, não podemos correr o risco de minimizar a questão racial diante dos dilemas socio-econômicos.

  29. Eu estudo em uma universidade pública que possui o sistema de cotas e percebo que há maior dificuldade entre esses alunos. Acredito que a educação deficiente prejudica o processo de aprendizagem já que o professor parte do pressuposto que o aluno da universidade já possua uma bagagem de conhecimento antes de ingressar na instituição.
    Ao meu ver, essa é uma medida que tampa o sol com a peneira. Claro que é uma iniciativa que vai aumentar a porcentagem de negros e de pessoas que estudaram em escolas públicas nas melhores faculdades do país, mas a criança e o jovem da escola públuica ainda vai padecer com uma escola que não dá base para o aluno, por isso vai enfrentar dificuldades mais pra frente.
    O governo tomou uma atitude contrária. Começou a resolver o problema de cima pra baixo. Precisa resolver as questões do primário, do ensino médio. Fazendo isso, o ensino superior é consequencia, não precisa “dar” vagas, todos terão condições, de por mérito, alcançar o que deseja.

  30. Para início de assunto, o sistema de cotas não funciona pois
    o Brasil é um país mestiço, com alta porcentagem de miscige
    nação de várias etnias, ficando impossível de enquadrar um indivíduo .Para sermos mais justos, deveria ocorrer uma melhora considerável na qualidade do ensino (sofrível),
    na qualidade dos professores (alguns são muito ruins!), e
    maior cobrança de resultados.Todos teriam de estudar muito,
    e os melhores seriam premiados pelo esforço.O sistema de cotas só alimenta o ódio racial, pois aquele que ingressa por esse meio entra ¨pela janela¨, e sempre será um aluno de segunda classe (e se conseguir acompanhar os demais da turma).É um atestado de incompetência que o governo passa ao aluno cotista.

  31. po galera eu tenho uma grande duvida sobre o sistema de cotas tipo fiz uma prova onde são 30 normas e 6 para cotas tenho mas chanse se nao colocar que sou negro? ou eu concoro normal e se nao tiver pontuação entro nas cotas? respondaum a meu e-mail obrigado alextelles2@hotmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: